Skip to content

Cascais vai organizar o XV Congresso Internacional das Cidades Educadoras 2018

Um júri internacional reconheceu Cascais como o concelho com melhor qualidade de vida, entre todas as cidades que estavam na corrida à organização do XV Congresso Internacional das Cidades Educadoras 2018: Granollers (Espanha), Rennes (França), Tampere e Helsínquia (Finlândia).

Na decisão pesaram as boas políticas de Ambiente, Educação, Social e Cidadania, entre outras, a vocação internacional do concelho e o seu trabalho como “cidade educadora”.

“É a educação, a formal e a não formal, que está na base do nosso sucesso enquanto comunidade. Temos tentado transformar a escola na âncora da cidadania, ao mesmo tempo que abrimos a escola à sociedade num movimento de influência positiva e recíproca. A escola é o centro da nossa comunidade. É a partir da educação e do incremento dos níveis de conhecimento dos nossos cidadãos que desenhamos políticas ambientais mais sustentáveis, políticas de crescimento mais duradouro e solidário, e políticas de participação e inclusão mais fortes”, adianta Carlos Carreiras, presidente da Câmara Municipal de Cascais.

Cascais volta, assim, a estar nas bocas do mundo pela aposta, cada vez mais, no bem-estar dos munícipes e dos visitantes, e do envolvimento dos que cá vivem nas estratégias locais, de que é exemplo o Orçamento Participativo. É o mais votado da Europa. Cascais é premiada por ser uma “Autarquia + Familiarmente Responsável”, por colocar as famílias no centro das políticas públicas. E dentro e fora do país, é um concelho premiado pelas suas preocupações ambientais.

“A nossa escolha é reveladora de um facto simples em que acreditamos: é a partir da partilha da educação e do conhecimento, de experiências e vivências, que se constroem sociedades mais prósperas e sustentáveis, bem como uma democracia mais rica e mais participada”, acrescenta Carlos Carreiras.

A Educação é uma aposta do executivo, que, em 2015, assinou a delegação de competências, contando com o envolvimento de toda a comunidade escolar.

No voluntariado, já são mais de três mil os voluntários presentes em várias entidades do concelho.

Em 2018, Cascais será também a Capital Europeia da Juventude. Foi a primeira Câmara do país a ter um gabinete de estágios profissionais e regista a mais baixa taxa de desemprego jovem do país e a menor percentagem de abandono escolar.

Na defesa da sua proposta para organizar este congresso internacional, Cascais apresentou o tema: “Cidade, Pertença das Pessoas: Caminhos para a Coesão Social na Cidade”. Uma temática que envolve o compromisso das cidades para a Coesão Social, a partir das pessoas e dos seus sentimentos de pertença ao município.

O Congresso Internacional das Cidades Educadoras implica a realização de seminários, mesas-redondas, speakers corners, visitas de estudo, entre outras atividades, em torno da temática proposta, que no caso de Cascais será “Cidade, Pertença das Pessoas: Caminhos para a coesão social na cidade”.

 

Veja a noticia completa aqui

Back To Top